Início > A Prefeitura


Prefeito: Edson Santos Albuquerque (TIQUIM)
Idade: 29 (17/01/1988)
Estado Civil: casado(a)
Nacionalidade: brasileira nata
Local de Nascimento:São Paulo
 Vice Prefeito: Odair Machado Martins
Idade: 38 (24/12/1979)
Estado Civil: casado(a)
Nacionalidade: brasileira nata
Local de Nascimento: Crisália/MG

 



A Cidade

A origem de Cristália está intimamente ligada à vizinha cidade de Grão Mogol, antiga povoação de garimpeiros denominada Serrinha que surgiu na primeira metade do século XVIII. A povoação mais tarde, a partir de 1781 passou a ser conhecida como “Serra” e depois “Serra do Grão Mogor” que foi elevada a vila com a criação do município, desmembrado de Montes Claros, pela lei n. 171 de 1840, recebendo a denominação de “Grão Mogor”. A elevação à cidade deu-se pela lei n. 859, de 14 de maio de 1858, com a denominação de “Serra de Santo Antônio do Grão Mogol”. A partir de 1911 a cidade passa a ser conhecida como Grão Mogol.
Extrema, atual Cristália, teve sua origem com a exploração de diamantes no sopé da Serra do Bateeiro ou Serra Geral, destacando-se entre as famílias pioneiras do lugar, os Arrudas e os Borges. As terras ao redor da Igreja Matriz pertenciam inicialmente à família do Coronel Borges.
Segundo Álvaro da Silveira, Extrema teria crescido quando da descoberta na Serra do Bateeiro, do primeiro jazigo diamantífero, o qual atraiu dezenas de garimpeiros: “Como fosse muito acidentado o terreno lá no alto, construíram-se algumas casas no sopé da serra, no logar que mais tarde se chamou Extrema e hoje Crystallia, sede de um districto do município de Grão Mogol. O diamante, porém, escasseou na serra do Bateeiro e a prospera povoação existente lá no alto também foi seguindo a marcha descendente das jazidas, de modo que, quando estas extinguiram, também aquella desapareceu...”. [1]
¹ Minas Gerais, Belo Horizonte. 8 de maio de 1927. p. 6 e 7. Silveira, Álvaro. Collaboração no Norte de Minas

De acordo com o censo realizado em Minas Gerais em 1831 pelo Juiz de Paz da região, o distrito de Nossa Senhora da Conceição de Extrema possuía 736 pessoas livres, 165 cativos e 300 casas. Seis anos depois Extrema apresentava 55 casas e cerca de 305 almas, uma queda acentuada .
A lei provincial n. 2 691 de 30 de novembro de 1880 criou o distrito no município de Grão Mogol. Pela lei n. 843, de 7 de setembro de 1923, o distrito de Nossa Senhora da Conceição da Extrema teve sua denominação mudada para Cristália. A lei n. 2 764, de 30 de dezembro de 1962 criou o município com o mesmo nome, desmembrado de Grão Mogol. Segundo o censo de 1970, a microrregião da qual faz parte possuía a renda per capita mais baixa entre as 361 microrregiões do país.
Em 1984 o município possuía 4 791 habitantes, tendo como principal base econômica a agropecuária. Estas atividades ainda são predominante destacando-se a criação de bovinos, avicultura e a plantação de arroz, café, cana-de-açúcar, feijão, mandioca e milho. Possui na área urbana, quatro armarinhos, uma farmácia drogaria e perfumaria, três estabelecimentos de material de construção, um de móveis e decoração, duas oficinas e auto-peças e cerca de trinta restaurantes e bares.
Situado na Zona do Itacambira, com sede a 720 metros de altitude, distando 566 km. de Belo Horizonte, o município de 841 km2 é composto apenas do distrito-sede. Possui atualmente 5 583 habitantes: 2 986 na área rural e 2 497 na área urbana.
A economia do município é baseada na agricultura e pecuária de subsistência. Na atividade agrícola, destaca-se a produção de milho, mandioca, feijão, cana, café e arroz.
Fonte: Inventário de Proteção do Patrimônio Cultural de Cristália.2009.